03/08/16

Resquícios de um passado

Meu amigo e grande poeta lírico Wilson De Oliveira Carvalho já fazíamos duetos e entrelaces nos grupos do Yahoo. Depois de tantos anos, a química poética se deu novamente. Como em uma ópera, ele começa e eu respondo.

RESQUÍCIOS DE UM PASSADO
Na ilusão que tudo havia terminado,
passei a reunir os pedaços que
sobraram de mim e que sobrevoavam
por aí sem destino certo.
******
Sei que você merecia muito mais
do que apenas pedaços de sonhos,
mas foi preciso muita coragem
para abrir mão de tua presença.
*****
Consegui com muito custo pequenos
fragmentos de minhas desilusões, lembranças
de pálidas manhãs sem sol e pequenas
imagens de um desmerecido afeto.
******
Não sabe o quanto sofria
ao me deparar sem seu sorriso,
suas palavras soltas por lábios
que me diziam doces palavras.
*****
Persegui com coragem os rastros
de todos os meus sonhos os mesmos
que cegamente confidenciei com alguém
que julguei ser meu em todos os momentos.
******
Não pense que esqueci dos sonhos
que sonhamos juntos e que seria
realidade em nossas vidas
com minha presença plena.
******
Tentei alcançar alguns espaços de tempo que
foram tão reais que voltei ao passado onde deixamos
a marca de nossos passos nos episódios que vivemos,
mas eles desapareceram sem deixar vestígios dos rastros...
******
Eles ainda moram em meu coração,
alimentados por uma esperança vã
de ser a pessoa que embala os teus dias
com muito amor e alegria.
*****
Foi árduo o trabalho para trazer lá de tão longa
distância coisas de uma vivência mas foi bom, no final
acabei me encontrando por inteiro com a certeza
que os pedaços que sobraram de mim eram todos
resquícios de um passado já morto... nada mais...
******
Perdoa-me, amor de minha vida,
ter machucado teu coração,
porque assim também o meu o foi.
Só te peço que guarde de mim
a doce lembrança de quem muito te amou.


11/07/16

Saudade

Saudade

Aves de verão
são como os amores
que vêm e vão...
No choro da saudade
forma-se o oceano 
de vivências que não se apagam
com a idade.

Vidas silenciosas
que trazem lembranças
de momentos inesquecíveis.
Ah, mar de lembranças
que quebra em ondas
no cais do pensamento...

Ana Maria Pupato - 2013



10/07/16

Eu flor

O sol é o calor da vida...
Deixar a lua de poeta
para ser uma flor
que desabrocha no dia.

Ana Maria Pupato - 2013




09/07/16

Busca do templo etérico de Rowena

Há uma corrente de energia 
Energia que pulsa e flui
Passos em busca de caminho contínuo 
Há uma energia que pulsa e flui

Carmem Teresa Elias





Ana Maria Pupato com a orientação inspirada de Germano Reis - 2013


Barco ancorado - 1996


Jesus - 1996

Os olhos revelam quem sou 
Se escondido for o rosto 
Mais ainda essa verdade dirá quem sou

Carmem Teresa Elias






Ana Maria Pupato


27/06/16

Descanse em paz, velho Chico...

Descanse em paz, velho Chico...

É, Chico, pois é,
gostava de te ver entre a gente,
debaixo daquele sol quente,
quietinho, calado,
só observando...

É, Chico, pois é,
te achava tão de juízo,
daqueles que têm dente siso
- que até li seus livros! -
que não se junta com falastrão.

É, Chico, pois é,
apertei tua mão,
falei de você prum montão,
fiquei triste e chateada
quando você não ganhou.

É, Chico, pois é,
te achei homem de brio
quando largou aquele bando 
de filho da malquerença e da inveja
e teve coragem de caminhar sozinho.

É, Chico, pois é,
você mudou tanto
que não te reconheço.
Juntou-se aos falastrões,
que prefiro guardar tua história
como uma lenda.

Ana Maria Pupato - 2016