07/11/2010

Soneto da melancolia


Olhar cada amanhecer da mesma forma, sem cor,
daquela que meu coração não gostaria de sentir,
lateja dentro da alma,continuamente, uma cortante dor
que amanhece junto com o dia e não me permite fugir.

Em forma de prece agradeço toda bênçao recebida,
sentimento de culpa que aflora por não sentir assim.
Que dualidade ingrata é essa que persiste ressentida
se que o mais desejo é que tudo isso tenha fim?

Diviso o passado com consciência de toda a trajetória,
onde o sofrimento era maior por não ter a sabedoria
que cada ser tem construída a sua própria história

e que sequelas do pretérito mais longíquo fazem moradia.
O Criador em sua bondade dá para o consolo da depressão
o dom da poesia que faz se esvair as feridas da emoção.

Ana Maria Pupato


24/10/2010

Somente a lua e as estrelas




O mar trazia em suas ondas sussurrantes
uma canção de amor em nossa homenagem,
com notas maviosas, solenes e vibrantes,
selando uma união que faz da vida uma viagem.

Instante sereno e acolhedor de tuas mãos
enlaçando meu corpo em um doce abraço.
Seus lábios procurando nos meus os desvãos
das promessas urdidas em infinito laço.

Ser somente tua nessa caminhada confortadora
e extirpar do porão da alma o medo e a insegurança.
Viver a grandiosidade dessa emoção avassaladora.

Ter somente a lua e as estrelas como aliança,
refulgindo em nossos olhos como guia e esperança
de uma paixão que sempre será arrebatadora.

Ana Maria Pupato






09/10/2010

Sobre cartas e corações


Num café, à meia noite, aos sons de uma música.
Cartas abandonadas.
Como corações abandonados
Que se encontram como algumas  cartas no chão.
Bastará apenas um pouco de sorte!
Para que as cartas se juntem, formando sequências.
Conjuntos iguais
De naipes iguais
Vermelhos... pretos...
Porém, sempre juntas!
E os corações? Eles, também...?

Glória Castrioto

08/10/2010

Muito além dos sonhos






Ver no olhar de qualquer criança
a esperança de um futuro promissor.
Ver no olhar de qualquer adulto
a criança que não desistiu de sonhar.



Ver o dia amanhecer
em celebração com a natureza,
seres integrados em harmonia,
preservando o bem maior: vida.



Ver o respeito em cada gesto,
a ética por filosofia,
a individualidade valorizada,
o amor sem medida e fronteira.


Muito além dos sonhos sonhados
da realidade desejada
a vida em plena abundância
e perpetuada pela eternidade.




Ana Maria Pupato



03/10/2010

Folhas de angústia


Ser vicejante em pleno verão
com toda pujança da juventude.
Desejos e ideais brotando.
Sopra o vento frio do questionamento
que espalha tudo,
cai a chuva de lágrimas da dor
que nubla a visão.
É a estação outonal do recolhimento,
de deixar as folhas da angústia cair,
reconhecer o milagre da renovação da vida.

Ana Maria Pupato 

Amor eterno


Amor eterno

É aquele que é feito de ontem:
no primeiro olhar trocado,
no toque da mão e dos lábios,
na paixão que consome o sono.

É aquele que é feito de hoje:
no olhar de compreensão pela dor,
no toque da mão para afagar,
na paixão que se acende no fazer amor.

É aquele que é feito de sempre:
no olhar que vê uma jornada juntos,
no toque da mão que segura para caminhar,
na paixão sempre acesa sem os corpos tocar.

É aquele que é feito de vidas que se repetem:
no olhar trancendental dos sentimentos,
na mão que recebe no etéreo depois da passagem,
na paixão sublimada em amor que liberta!

Ana Maria Pupato

26/09/2010

Reflexões


Foi com muita dor que me vi chegar 
ao final de uma jornada de trabalho,
sair doente e sem o abraço dos que me diziam amar
sair sem conforto, sem sorriso e sem para alma agasalho.

Na hora da dor não sabemos avaliar
o bem que amealhamos durante a vivência,
nosso olhar se deixa nublar
pelo orgulho e a impaciência...

Deus em sua infinita bondade e amor
coloca o remédio em mãos inesperadas
e fala através de outro orador
que mostra o valor das atitudes honradas.

Não me arrependo de ter abraçado
a criança carente de amor,
a mãe desesperada,
o adolescente rebelde,
de ter me dedicado ao extremo das minhas forças.
E, acima de tudo,
ter incentivado o senso crítico,
formado o cidadão consciente,
amado cada um como filho
e não ter desistido de meus sonhos,
de ver um mundo melhor para todos!

Ana Maria Pupato

22/09/2010

Sabedoria


Sabedoria

Seres dotados na sua estrutura mental
pela emoção, pela razão e pela inteligência,
a caminhada em busca da felicidade sem igual
cria desvios nessa jornada da conselheira prudência.

Ainda dicotomizados pela dualidade em todas as crenças,
os impulsos da emoção e o juízo da razão se conflitam,
criando um rastro de insatisfação por tantas desavenças
geradas no imo de si mesmo e traduzidas em ações que gritam.

Cansaço e dor batem à porta acompanhada de infelicidade.
A reflexão brota como semente plantada da vivência
e o equilíbrio se faz presente apesar da idade.

Nascem o amor e a paz balsamizando o pleno existir.
Agir com sabedoria torna-se a excelência,
é a beleza primaveril que ao inverno soube resistir.

Ana Maria Pupato














09/09/2010

Minha busca


Busco em todos os lugares
a representação do nosso amor
e em vão me debato nesse esforço,
porque não há nada que possa ser
retrato fidedigno desse sentimento.

Busquei nas estrelas
o brilho singular de seu olhar
e vi que elas se ofuscaram
por não terem a luz 
que guia o meu caminho.

Busquei nas flores
a maciez do teu toque 
e vi que as pétalas
apenas me enterneciam,
enquanto que suas mãos
me aquecem a alma
e incendeiam meu corpo.

Busquei nas águas
o dessedentar de tantos anos
e vi que só na fonte de seu amor,
consigo aplacar a sede de carinho
e o desejo que me invade.

Busquei na terra
o fruto mais saboroso de árvore frondosa
e vi que só de seus lábios 
tiro o gosto divino
do fruto mais suculento,
e de seus braços a sombra
e o descanso para meus dias mais exaustivos.

Busquei na música
a mais bela canção que expressasse o amor
e vi que só existia uma única composição,
a que fazia vibrar todas as fibras do meu coração,
que me fazia sentir no paraíso
mesmo vivendo na Terra,
que me conduzia para a linha do horizonte o olhar
e procurar o pôr-do-sol,
que fazia meu corpo tremer de paixão
e chegar ao êxtase da harmonia,
que essa composição tinha sido feita
por Deus em um ato extremo de amor.
Deparei-me, então, com você,
meu grande amor.

Seja a melodia que meus ouvidos
nunca deixarão de ouvir,
meu coração de vibrar e 
minh'alma de sentir.

Ana Maria Pupato

07/09/2010

Poetando a Vida: Sombras de uma saudade

Poetando a Vida: Sombras de uma saudade

Sombras de uma saudade


Sombras da saudade

Acompanham-me pela longa noite,
arrastando seu manto negro,enregelante 
do frio que se abriga como açoite
em minha alma sofrida, ausência inquietante.

Despertam-me para um pranto copioso,
incessante,atroz, hibernal...
Meus olhos desejam a luz do teu olhar amoroso,
mas vislumbram uma cena dantesca,infernal...

Sem razão teu corpo perde a vida
não me responde, não me explica!
Como ficarei sem tua guarida?

Saudade estonteante que me replica
que tua presença é mais forte e querida.
Volta e cura essa ferida!

Ana Maria Pupato








26/08/2010

VOU


Vou...
 
Caminhando pela vida repleta de ideais
muito feliz com o que conquisto a cada momento
e por mais que me tentem, não me vendo
por um elogio e outros que tais.
 
Andando de mãos dadas com a paz
por mais que meu falar seja contundente,
sempre volto ao meu bem-estar
não deixando questão pendente.
 
Fazendo amizades e doando meu coração
a quem quiser caminhar ao meu lado.
Não me peça que eu tome partido ou dê razão,
pois meu tempo é precioso e deve ser valorizado.
 
Vivendo, amando, acontecendo
e libertando as amarras do mediano jeito de ver a vida.
 
Ana Maria Pupato
 

21/08/2010

Nova luz


Nova luz
 
Que nova luz se faça em nossa vida
guiando-nos para o bem e a paz
curando toda ferida
que o orgulho faz.
 
Sejamos nós com todas as mentiras e verdades
que ainda habitam nosso ser
não importando as várias idades
que ao longo das encarnações possamos ter.
 
Espíritos com tantas vivências
somos jovens para começar agora
como quem não tem experiências
mas com sabedoria de saber a hora.
 
Sejamos felizes por existir
com essa luz divina a nos guiar
que veio ao mundo sem nada exigir
e que está conosco por muito nos amar.
 
Obrigada, Mestre Jesus, por sua luz!
(Ana Maria Pupato) 
 



Nas profundezas


Nas profundezas

Nas profundezas da alma
mora um amor grande e puro,
que plenifica o ser na calma,
que traz luz ao recanto mais escuro.

Sentimento cristalino acalentando o coração,
faz a vida ter cada momento como único.
Universo se formando em explosão,
fazendo nascer estrelas-sentimento em tom translúcido.

Nas profundezas da alma
revela-se o tenebroso e hediondo
de tudo que faz perder a palma,
sombras e mais sombras no caminho se interpondo.

Orgulho e vaidade iludindo a ação,
faz a vida ter sabor de vazio profundo
morre-se existencialmente de inanição
do que se consome de passageiro desse mundo.

Nas profundezas da alma amadurecida
desperta o livre arbítrio e a consciência
que escolhem pelo amor traçar a sua lida
transformando a sombra em luz pela paciência.

Ana Maria Pupato








02/08/2010

Minha estrada


Minha estrada

Minha estrada tem flores brotadas
do plantio do amor e da amizade.
Todas foram muito bem cuidadas
com consideração e sinceridade.

Ana Maria Pupato

Oração de agradecimento




Agradeço, Senhor, todas as bênçãos que tenho,
dentre tantas o carinho dos amigos que me fortalece.
Agradeço, Senhor, todas as  bênçãos
que chegarão para meu crescimento interno.
 
Agradeço, Senhor, todas as oportunidades
principalmente a dos teus ensinamentos
que me fazem caminhar pela auto-transformação
e me fazem ver que a felicidade é possível.
 
Agradeço, Senhor, pela tua presença constante
em minha vida fortalecendo meus propósitos
da paz, do bem e do amor.
 
Que eu mereça sempre a Tua presença hoje e sempre!!!

Ana Maria Pupato

07/07/2010

Deus te faça feliz



Muita alegria em cada coração
que doa por vocação
de ser útil ao seu irmão
que necessita de amparo e compaixão.


Suave e terna emoção
que invade a alma sem se ter noção
do bem que ao outro deixou em sua mão
e que se transforma do amor em doação.


Ana Maria Pupato

17/06/2010

TUA AUSÊNCIA EM MIM





Tortura que se prolonga a cada dia
em cada amanhecer no horizonte dourado,
cada hora é uma caverna fria
onde me escondo do amor em mim deixado.


Lágrimas são rios que correm para um mar
de angústias que teimam em mim morar.
O que fiz para esse amor assim acabar?
Não fui companheira, amante e fiz um lar?


Desespero de trazer tua imagem cravada
em meu coração como um punhal
que lateja uma dor desvairada.
Será que te fiz tanto mal?


Espero a noite chegar e trazer a escuridão
para não ver teus olhos brihar com sofreguidão
Rolo na cama e demoro a dormir sem sossego
E acordo em mais um dia voltada a esse amor-apego...


Ana Maria Pupato

14/06/2010

PESSOA AMADA


Pessoa amada
Poesia subliminar
Ternura infinda em cada olhar
de amor que me lança com
um abraço arrebatador de
carinho por tantas vidas já vividas.
Estampado em seu semblante
em forma de luz radiante
um sorriso ilumina todo o seu
rosto e que me faz ver o céu.
Ela,doce alegria,nos aquece e
é a base de nossos dias,
anjo que nos faz sorrir,
de tudo, porém, o mais importante é o
amor que brotou e cresceu em nosso jardim
encantado e florido por nossas atitudes !
Denise Severgnini
Ana Maria Pupato

13/06/2010

ECOS DE METÁFORA POÉTICA

Queria ouvir a voz do verbo, minha utopia silenciosa,
Não queria ver no meu amor as alegorias do passado.
Passando a limpo as folias do agora, eu bebo a poesia
Inevitável de minha essência, que grita e chora
Querendo entender a linguagem do mistério.
É preciso atravessar ao oceano do meu eu?
Afronta-me mar cristalino? Teu oceano sou eu mesmo.
Quem me deu esta força lúdica esse medo lúbrico,
Esta fantasia extasiante, essa consciência espectral?
Queria ultrapassar meus temores e ardores de alcova,
Essas tempestades de tristezas temporâneas,
Esses pecados que descubro em mim inocente,
Não quero gozar de uma liberdade indecente.
Preso do meu eu essa multidão de juiz à esmo.
Não quero tudo que imagino porque sou menino,
Sou árvore que sol a pino envelhece, mas dá sombra.
Imagino os sonhos vergando meus ombros,
Dando frutos e as sementes de uma nova era,
Assim eu penso na natureza desfragmentada
E salva do meu próprio armagedom,
Minha Fênix renascida dos meus sentimentos puros.
Sim eu queria ouvir a voz do verbo no meu silêncio,
Antes que a alegoria, fantasia, utopia, minha agonia
Destroce-me e eu seja só uma metáfora de poesia.

Walter Brios

MEU NAMORADO


Meu namorado

Vive comigo no dia-a-dia,
mas mora na minha alma;
conversa sobre tudo
e sobretudo me fala palavras de amor;
compartilha sorrisos e dores
e ainda dá o ombro e a mão para me apoiar;
 traz flores para me dar
e deixou a semente do amor em meu coração;

faz pratos especiais só para mim
e me alimenta com seu carinho;
 ama com paixão de adolescente
e diz que seremos eternos namorados.

Ana Maria Pupato
 


09/05/2010

QUEM É VOCÊ?


Quem é você?

Quem é você,
que mesmo triste está sorrindo,
que feliz está chorando,
que tem sempre uma palavra de consolo
nos momentos de desespero e de dor?

Quem é você,
que reparte muitas vezes o que não tem,
que diz sim quando deveria ser um não,
que faz com que todos sejam felizes sem razão
e que se diz com toda razão para tanto amor?

Quem é você,
que segura em minha mão
e diz que está comigo aconteça o que acontecer,
que nenhum mal quer me atinja,
que o meu bem é o seu bem?

Quem é você,
que na penumbra do quarto chora baixinho
porque estou doente e posso não sarar,
mas que ao mesmo tempo crê que Deus
não deixará de atender às suas preces?

Quem é você,
que senta ao meu lado para dizer palavras severas 
para me mostrar o melhor caminho,
que se pudesse me carregava no colo
para que meus pés não se ferissem?

Quem é você,
que quando soube que eu estava dentro de você,
ficou feliz e não me abortou,
que quando eu saí de você
deu-me seu leite
e me chamou: "Minha filha!"?

Você só pode ser uma pessoa: MÃE!

Ana Maria Pupato

Parabéns a todas que são mães, filhas, tias, avós, enfim, mulheres que amam seus seres!
E aquelas que sentem a saudade da perda de seus seres, amem ainda mais porque eles sentem esse grande amor.
Maria sentiu a dor da perda de seu filho e continuou na lida do bem.
Que a nossa Mãezinha envolva a todos em muita paz, inclusive a criadora desse papel, que partiu o ano passado sem ver seu netinho nascer.
Beijos mil!!!! 
   






02/05/2010

TRANSFORMAÇÃO


Transformação

Durante os milênios transcorridos
a opção da guerreira foi fundamental:
eram intensamente os desejos vividos
por um código de ética venal.

Conquistadora incessante de paixão
deixou rastros de dor e de lágrimas,
brandia a espada da sedução
e nem percebia do outro as lástimas.

Quando o fogo do instinto se abrandava
a espada com veemência novamente erguia.
A sua vítima, então enamorado, sem escrupúlos,abandonava,
cortando o laço que porventura existia.

Dentro de si, não se dava conta, crescia
um enorme vazio que não findava.
Acreditava que mais uma paixão seria
o fim de seus tormentos e sua alma assim se asserenava.

Um dia, sem notar de Deus a sabedoria,
em um momento de armas depostas,
um grande amor em seu imo cresceria
e sua força não traria mais respostas.

Seu instinto de guerreira e fera devoradora
se debatia entre as grades do poder e da submissão.
Não admitia o coração cansado e a alma em carência perturbadora,
e por entre agonia e dor afirmava que a fuga era a única solução.

Com o corpo sangrando de luta inglória,
ajoelha-se diante do Criador e ora:
-Suplico, Senhor, receber de Ti a hóstia
da redenção e do amor que o Cristo nos exorta.

A guerreira invadida de luz que emana do Alto,
depõe as armas diante do altar profano da paixão.
A ternura da sensibilidade feminina se faz arauto
da mulher que plenifica de sentimento a alma e o coração.

Ana Maria Pupato