24/02/2010

Sem culpa


Sem culpa

Encontro marcado pela necessidade,
corações que se amaram sem encontro marcado.
Um coração compromissado com o social
e o outro compromissado com o amor.

Sonhos e projetos arquitetados com todo carinho
desmoronaram ao longo do tempo pela covardia
em romper com o passado comprometido.

Não havia escolha, havia apenas comodismo...
Rompimento sofrido e sem volta,
lágrimas nos olhos, amor enorme no coração,
sem culpa de ter sido imensamente feliz.

Ana Maria Pupato


Um comentário:

Jorge Humberto disse...

Belo poema muito bem construido e ritmado, parabéns pela inspiração

Beijinhos
Jorge Humberto